O que alimenta a Alma?

As histórias, parábolas e metáforas, são como bálsamos para nossa vida diária e o alimento da alma.

A tradição de contar história já faz parte de todos os povos, e é cultivada nas famílias e nas escolas.

O poder dos contos terapêuticos, ou metáforas, é conhecido e reconhecido por médicos, psiquiatras, psicólogos, professores, mentores e líderes.

O conto respeita a história de cada um e nele é depositada a confiança de que todos saberão utilizar os ensinamentos ali escritos ou contados da melhor forma, no tempo certo, para seu maior bem.

A história é o alimento da Alma.

Divirtam-se lendo ou escutando:



Você já parou para observar um filhote de cachorro, ou gato, ou uma planta em brotos?

Ou mesmo o céu pela manhã, ou o sol no final da tarde?

Uma árvore perdida no meio das casas, ou um jardim da praça entre tantos prédios imensos?

A simplicidade da complexidade da natureza.

Qual é o alimento da Alma?

O que nutre nossa alma, nossa conexão com a fonte são os nossos pensamentos.

É impossível controlar a quantidade imensa de pensamentos que passam por nossa mente em segundos. Isso se pensarmos apenas no que nos recordamos conscientemente.

Nossa mente está repleta e congestionada de pensamentos o tempo todo.

Silenciar a mente é tarefa para yogues treinados. São anos de prática.

Porém, o que podemos fazer é gerenciar o fluxo de pensamentos. Escolher o que pensamos. Encaminhar cada pensamento para seu devido lugar.

Como um pastor e suas ovelhas. Elas estão ali e ele as conduz para cada pasto de acordo com sua vontade e orientação. Ou ainda para os cercados onde dormirão em segurança.

Nossos pensamentos podem ser comparados com ovelhas. Às vezes, barulhentas, que ficam balindo todas no mesmo tempo, de todos os tamanhos e timbres diferentes. Cada qual exigindo algo diferente e pessoal.

É nessa hora que podemos entrar em cena como um treinado cão pastor e colocarmos ordem na casa.

Um latido mais forte para aquelas que estão mais irritadas e ensandecidas.

Uma corrida em volta das pequenas perdidas e logo elas voltam para o rebanho, sentindo-se seguras e em silêncio.

Uma direção, apontando o caminho para todo o grupo para que sigam para o pasto certo. O mais verde, o mais farto, o mais preparado para recebê-las. Onde poderão passar a manhã ou a tarde comendo a grama verde e fresca, nutridora…

A água limpa cristalina e abundante…

E o pastor. Bom, este é Deus, e Deus nunca descansa…

Compartilhar: