Entrevista na CBN sobre Constelação Familiar

Caminhos Alternativos com Petria Chaves e Fabiola Cidral entrevista Nathalie Favaron

Para viver o agora, é preciso olhar para o passado
A terapeuta sistêmica Nathalie Favaron explica que o passado está como referência, mas não precisa ser repetido. ‘O mínimo que se deve saber é a história de sua família’, afirma a terapeuta.

O que é a Constelação Familiar?

A Constelação é uma abordagem terapêutica, que olha para os fatos e destinos que aconteceram na sua história familiar e a influência que exercem em sua vida atual.

Todos nós carregamos histórias que pertenceram a outras pessoas da família e inconscientemente repetimos seus destinos, sintomas e dificuldades em nosso dia a dia e assim não ficamos livres para viver as nossas vidas.

 

Sabemos hoje que mais que 65% dos nossos problemas e dificuldades tem origem nas histórias familiares, independente de conhecermos elas ou não.

 

Isso acontece com todos nós, independente de acreditarmos nisso ou não!

 

Tudo acontece sem que tenhamos consciência e controle e somente podemos curar essa dor ao incluirmos todas as histórias que nossos pais e antepassados viveram antes de nós.

Ou seja, as histórias que aconteceram com seus pais, tios, avós, bisavós tem um peso enorme na sua felicidade.

Elas atuam sobre todos nós diariamente e não temos o poder de ignorar o efeito delas em nossos planos.

Mas existe uma saída para transformar deste peso, em força e liberdade!Quer começar agora? Baixe aqui meu e-book gratuito para começar a curar seus relacionamentos mais importantes!

Na verdade um caminho a ser percorrido para tomar as rédeas da sua vida nas próprias mãos!

 

A consciência e a cura são possíveis através da Constelação Familiar que vem ajudando milhares de pessoas no mundo todo a conquistarem o direito à felicidade e liberdade.

O Objetivo da Constelação é trazer uma solução para o que nos impede de realizarmos nossos desejos. Assim você e sua família podem experimentar uma vida nova com equilíbrio, liberdade e paz.

Saiba mais ouvindo aqui a minha entrevista para a Rádio CBN de São Paulo

Compartilhar: